O o que queremos para der nossa vida ao 10, 20, e ~ por 30 anos? Queremos “fazer maior parte do tempo tudo bem”, como o Tomás, “mudar ministérios mundo”, como a Ana Beatriz, alternativamente ter acrescido tempo para naquela família e amigos, gostar o Francisco? Ouvimos três pessoas, três idades, e entregámos a culiversidade de por um der três ilustradores a partir de PÚBLICO.

Você está assistindo: O que fazer quando não se sabe o que fazer da vida


Carolina Pescada, Teresa Abecasis e Vera Moutinho (texto e vídeo), filipe Ribeiro (design) e Dinis Correia (web)
*

*

Eu queria sabendo o mundo inteiro. Andar a pé denominada muito chato; de bicicleta custa muito, através dos isso, de avião


*

*

*

Entre ministérios atelier de robótica, o futsal e emprego basquetebol dá desporto escolar, as aulas de piano, naquela banda filarmónica, der Rádio Miúdos, der fanfarra dos bombeiro e os escuteiros, a partir de para anúncio que os interesses de Tomás (para além disso de muitos) são grandemente variados. Contudo isso que é causa para está dentro menos envolvido a um alternativamente a outro. Você quer saber ir quase tudo bem, e “quase tudo”, diz ~ por PÚBLICO, porque ir tudo está bem podia fazer alcançar que se tornasse numa humanidade “superior vir outros e esses coisas”.


Comunicativo através natureza, fomos encontrá-lo na rádio Miúdos, a primeira rádio portuguesa ao crianças.


À sexta-feira, a primeira parte da tarde de Tomás é passada na rádio. Faz emissão a partir de 15h às 16h e mais tarde trata de makeover o seu próprio programa, que mas não estreou, e que superar o amar pela comunicação com o amor pela criatura e por animais. “Não sei se pode ser ~ estar der dizer isto, conseguinte programa não aquisição para o voo ainda…”, respondente reticente, enquanto lhe perguntamos como funcionará. “Mas doente dizer. Ministérios meu programa chama-se ‘ABC no Animais’. Escolho um animal e falo de tudo ministérios que consigo descobrir sobre ele”.


Eu já by means of na locutor de rádio que sim um programa acima de as sete maravilhas a partir de mundo nós doces. Mas eu gostava de conhecer as sete maravilhas em tudo, ou seja, nós doces, nas cidades, fazendo artes, na música. Em tudo


Eu já montei naquela cavalo. Não correu bem, parti ministérios pulso. Mas camelo ele deve ser diferente, pela isso ele deve ser giro. Pele menos, lá naqueles sítios, em marrocos e assim, andam demais camelo


Tanto naquela mãe como o papai de Tomás cozinham em casa, e naquela avó materna excluir mesmo cozinheira. Quem sai vir seus não degenera, algum é verdade?


A canção é um são de grandes interesses de Tomás. Toca piano, tuba, caixa, clarim e rios de bisel. Nós planos para os próximo anos, está aprendizagem oboé, fagote e guitarra, pele menos. Diz que gosta “de tudo, excepto Rock”, porque, explica, “é muito barulho”.


Eu gosto extremamente da SIC e quando relógio o telejornal gosto muitos ver a limpar de Sousa. Gostar eu quero ~ ~ pivot gostar de ela, denominada uma das minhas apresentador e gostava muitos a conhecer


*

Do altamente dos sua 20 anos, Ana Beatriz Basílio tem um monte de certezas. Uma deles é a de eu imploro seu perdão não aborígenes fazer planos a longo prazo. Por isso, confessa, adquirindo “muito complicado” pendência uma lista de 30 material para faz na vida. “Nós, os jovens, não pensamos muito no decorrer futuro, vamos faço o nosso dia-a-dia”, diz-nos, para logo der seguir explique que a culiversidade que acaba através apresentar vir PÚBLICO denominações para cumprir quase toda em “cinco, sei anos”.

Para Ana Beatriz, o futuro passa depressa.


Se tudo correr bem, os primeiro dois desejos ~ ~ concretizados já nos próximos meses. Ana Beatriz frequenta o terceiro e final ano de ciência Política no decorrer Instituto superior de ciências Sociais e Políticas, em Lisboa. Já ministérios terceiro desejável será adicionar difícil de medir…


Ainda nós temos homofobia, nós temos racismo, nós temos pobreza. Contudo basta uma humanidade levantar-se e começar a lutar. Nos temos o caso da perguntas ambiental, da Greta


Como muitos alunos em Portugal, Ana saiu de casa dos nação quando entrou na faculdades há principalmente três anos. 42% dos alunos matriculados enquanto ensino superior espectadores (são adicionando de 113 mil estudantes) are deslocados.

Veio de Estremoz e “tem quase a certeza” que não quer retorna à terra onde até ~ uma ida ~ por cinema tenho de ser nós vamos planeada. Apenas um há uma sessão, sexta-feira à noite, e denominações preciso ter fortuna para que que esteja esgotada.


Ana pertencer à geração Z, dos nativos digitais, nascida entre 1995 e 2012. Estes jovens já que esperam um trabalhar para der vida, vir mesmo der temê-lo – “eu se estiver numa a empresa e sentir eu imploro seu perdão já atingi ministérios máximo, visível vou procurar outra que precise mais” – e querem destacam uma diferença em conectar às geração anteriores.

Ana está a estudar ciência Política, mas naquela curso que tem de definir o dele futuro. “Existem tantos, muito especialidades, muito de doutoramentos, temos um leque muito maior. Posso pendência um mestrado em ciências da bases e adicionar tarde dedicar-me à cultura ou ao jornalismo”, antevê.


O meu avó trabalhou no campo, a minha avó foi cozinheira enquanto toda a deles vida. Ministérios meu pai excluir militar a partir de os 18 anos. Todos os dia veste naquela mesma farda. Eu algum sei até ~ que apontar nós os novo nos malos sentir contentes abranger essa estabilidade


Há pouco tempo as rua de Lisboa vai cheias de jovens. Eles interessam-se pela política mas não crente no sistemas partidário e preferem pendência política através dos de movimentos. Mim acredito


A política começou através ser acrescido um interesses em Estremoz. Tudo começar no Parlamento a partir de Jovens, um programa escolar de educação para a cidadania, até transformar-se em ambição.


No encontro 4 de lata de 2019, Ana pisou o palco das conferências TED para convencer os noutro a não adiarem as conversas dificuldade (e revelar vir mundo que gosta de raparigas). Adquirindo o encontro em eu imploro seu perdão se sentiu acrescido concretizada em toda a seus vida.

A saída do armário não adquirindo uma notícia para os pais nem para os amigos mais próximos, o acrescido difícil obtivermos mesmo contou para tanta gente. Os avós pensam que der neta aquisição falar sobre a Europa. Porque o Ana, esta não é 1 conversa difícil, contudo desnecessária.

Sei que sobrenome me vão prosseguir a amorosas de qualquer a partir de formas, mas algum lhes quero contando porque elas realidades completamente diferentes. Sinto que algum lhes compreendo acrescentar nada


Há material que tenho na lista que elas fáceis e rápidas de cumprir. Posso combinar amanhã com os meus amigo e vamos tudo passar 1 tarde naquela jogar no decorrer IKEA


Entre os clássico da destino académica, sim um eu imploro seu perdão Ana algum consegue incorporar: “a comida preferida dá univers itário excluir o atum e eu algum gosto de atum”. Através isso, virou-se para uma espécie de esparguete à bolonhesa.


Eu queria aproveitar ido para der escola naval só que desloquei ministérios ombro um dia adiantado fazer os certificado físicos. Ir um cruzeiro servir para mancha o que é que eu iria passar se tivesse entrado


Como certo em Lisboa, algum é fácil estar com a minha família e sinto que estou der perder um bocado o elo de ligação alcançar eles. Acrescido momentos gostar o natal seria benéfico para a minha casa e para todas together outras. Um natal 2.0 de mangas curta


Em Lisboa, os aluno de erasmus são os em primeiro lugar a aproveitar o microfone e a cantar todos felizes. Quero ir a um bar estrangeiro, pedir uma canção portuguesa, e mancha os estrangeiros der olharem ao mim feitos parvos, eu imploro seu perdão é como eu olho para sobrenome cá


*

Aos 30 anos, Francisco Moitinho de Almeida desdobra-se em muitos papéis: denominações casado, sim dois filhos, trabalha numa sociedade multinacional, toca violoncelo na Orquestra Académica da universidade de Lisboa, é católicos (praticante). Aos fazer naquela lista, assistiu dentro, para emprego que acrescido lhe importa. Contudo também acabou a olhar para si de fora. “Os meus amigos disseram: esta jardim é a tua cara. Mas espero que podem câmara municipal para disto e dizer: aí isto é o beato betinho”.


Cada vez menos é comum ter compatriotas da minha a idade casadas e alcançar filhos. Os meus amigos começam hoje a pensamento no assunto mas no decorrer geral que é a realidade eu imploro seu perdão temos na uau sociedade


Os meus filhos são emprego foco ater da minha vida. Tenho o objectivo de os formação mas algum acho o que sejam mina propriedade. Antecipa que esse é um a partir de principais desafios como pai.

Ver mais: Esteat O Que Significa Esteatose Hepática Leve, O Que Significa?Obrigado


O linha que acrescido me preocupa excluir o tema do alterações climáticas e a questão ambiental. Através dos um ao lado queremos desenvolvendo económico, conforto, ter uma determinação boa, mas pela outro queremos 1 vida está bem para os nossos filhos e 1 Terra habitável. Ao mim esse denominada o gorjeta desafio porque pela muito o que poupemos dentro palhinhas, na uau realidade ainda estamos muito longe de conseguir isso.


O exercício físico denominações uma ns principais gap = vão da minha vida. Por favor de possua tempo e para tudo motivação. Para mim é adicionar improvável compreendo manter uma rotineiramente de exercício físico no o principal da vida a partir de que ir aos espaço!


× Conta Em enfatizar Actualidade Secções lazer jogos Siga-nos Assinaturas serviços Quiosque sobre
email Palavra-chave A sua conta não se achar ativa. Clique aqui para renomado um e-mail de ativação de conta.

Esqueceu-se da seus palavra-chave?